Skip Navigation Links Você está em:  

Sala de Imprensa

Notícias

7 de abril: Dia Mundial da Saúde e Nutrição
RSS
Por Ascom em 25/03/2015

No dia 7 de abril é comemorado o Dia Mundial da Saúde e Nutrição.  A secretaria de Saúde de Búzios enaltece, nesta data, a importância da Segurança Alimentar e Nutricional, o aproveitamento integral dos alimentos e combate ao desperdício, através da oferta de ações e projetos de educação nutricional nas unidades de saúde.

 

Desde 2014, hortas comunitárias estão sendo desenvolvidas em PSFs, além de ações coletivas de Educação Nutricional, incentivando o combate ao desperdício e aproveitando o máximo que os alimentos nos oferecem. Em 2015, o tema Segurança Alimentar x Desperdício foi abordado com as crianças no Projeto Botinho, com enfoque no reaproveitamento dos alimentos e o impacto na natureza.

 

Em matéria de desperdício, lamentavelmente o Brasil tem alcançado as primeiras posições no ranking dos países que não sabem fazer bom uso dos recursos naturais e, em especial, da produção agrícola.  Já no que concerne aos alimentos, estimativas apontam um desperdício próximo a 32 milhões de toneladas, contabilizando desde a produção inicial até o consumo final. Isso daria para alimentar quase 10 milhões de famílias (30 milhões de pessoas) durante um ano com uma cesta básica típica.

 
Nossa perda agrícola é de 44% de tudo o que é plantado: 20% durante a colheita, 8% entre o transporte e armazenamento, 15% na indústria de processamento e 1% no varejo. Somando-se as perdas decorrentes dos hábitos alimentares e culinários, tem-se mais 20% de alimentos que são estragados, o que faz subir então para 64% o nível de desperdício de alimentos. A conta monetária ao ano desse desperdício brasileiro gira ao redor de R$ 80 bilhões em alimentos, energia, água e demais recursos que simplesmente viram lixo.

 

O novo relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU), confirma um rastro de desperdício de alimentos em escala global da ordem de 1,3  bilhão de toneladas, ocasionando, além de significativas perdas econômicas, também forte impacto ambiental, pois essa enorme perda, excetuando China e EUA, se fosse um país, seria a terceira maior emissora de gases causadores de efeito estufa (são 3,3 bilhões de toneladas de gases nocivos); além da perda de água, energia e produtos químicos usados na produção alimentícia. Esse desperdício de alimentos consome cerca de 250 quilômetros cúbicos de água e ocupa cerca de 1,4 bilhão de hectares- grande parte de habitat natural transformado para tornar-se arável, sendo comparado as Cataratas do Iguaçú, por 2 meses em queda intermitente de água.


Num mundo em que quase 1 bilhão de pessoas sofre de profunda e crônica carência alimentar, o desperdício de alimentos chega a impressionante cifra de 1/3 de toda a produção mundial. A redução de desperdício de alimentos não só evitaria a pressão sobre recursos naturais escassos, mas também diminuiria a necessidade de aumentar a produção de alimentos em 60%, a fim de atender a demanda da população em 2050, conforme relatório da FAO.

 

Veja a dica das nutricionistas da secretaria de Saúde para aproveitar bem os alimentos, reduzindo as perdas e equilibrando as refeições:

 

·         Talos das verduras: são ricos em fibras e podem ser usados em refogados, sopas e no feijão;

·         Cascas das frutas: são muito nutritivas, e batidas no liquidificador podem virar recheio de tortas, bolos ou transformando-se em geléias e sucos;

·         Pão amanhecido: fica fresco se respingando levemente com água e em seguida aquecido no forno; ou então, se ralado, transforma-se em farinha para cobertura de pratos salgados;

·         Miúdos: os miúdos são altamente nutritivos e podem ser preparados em cozidos com legumes;

·         Sobras das Panelas: quando bem conservadas, transforma-se em pratos saborosos e nutritivos com imaginação! O arroz de hoje pode ser um bolinho de amanhã;

·         Ramas ou Folhas: por terem alto valor nutritivo e rico em fibras, para garantir o bom funcionamento do intestino, podem ser usadas refogadas, omeletes, feijão e sopas;

Mas lembrem-se: no prato não devemos deixar sobra alguma, porque ela não pode ser reutilizada. Precisamos aprender a só nos servir da quantidade de comida que vamos realmente consumir.

 

 *Camila Gomes Ferreira

Nutricionista CRN4-2005100551

Coordenação do Núcleo de Programas de Saúde/ Atenção Básica de Armação dos Búzios

Especialista em Políticas Públicas e Ciências Sociais para Projetos de Saúde

Especialista em Nutrição Esportiva, Clínica e Fitoterapia

Pós Graduada em Fisiologia do Exercício

 


Valid XHTML 1.0 Transitional

Selo de Acessibilidade - DaSilva

Estrada da Usina, 600 Centro (22) 2633-6000 Desenvolvido por NPI Brasil