Skip Navigation Links Você está em:  

Sala de Imprensa

Notícias

Secretaria de Turismo de Búzios discute ordenamento do turismo náutico
RSS
Por Ascom Búzios em 22/11/2013
A Prefeitura de Búzios, por meio da Secretaria de Turismo, realizou nesta quinta-feira, dia 21, mais uma reunião com os proprietários de escunas, objetivando ordenar o turismo náutico no município. Os encontros vêm sendo realizados, há alguns meses, e, neste último, ficou determinado que os empresários terão até o próximo dia 28 para apresentar sugestões, participando, ativamente, pela primeira vez, do ordenamento dos passeios náuticos na cidade.

Estiveram presentes à reunião  o Secretário de Turismo, José Márcio Moreira dos Santos; o Secretário Adjunto de Turismo, Anderson Akel; o Coordenador de Turismo Náutico, José Wilson Barbosa; o Coordenador de Postura, João Carlos Souza dos Anjos (Dom); Coordenador de Trânsito e Transporte, Flávio Gomes, e empresários proprietários de escunas.

Na ocasião, as mudanças e as determinações do Decreto n. 180 de 22 de dezembro de 2010 foram questionadas pelos empresários que, em sua maioria,  não concordam com partes das regras já existentes para o exercício da atividade náutica com escunas. No encontro, José Márcio falou sobre a importância do ordenamento do setor para atender da melhor forma os turistas e manter o município organizado.

"Nós estamos tentando coibir os excessos, que já vêm acontecendo há muitos anos. Herdamos uma desorganização no setor e é necessário organizar tudo isso", afirmou o Secretário.

De acordo com o Decreto vigente, as empresas, para estarem dentro da Lei, têm que ter alvará de funcionamento, registro no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica, inscrição municipal, embarcação e autorização para transporte emitida pela Marinha e pela Secretaria de Ordem Pública.

Outro ponto debatido foi a proibição de vendas de passeios de escunas nas ruas. Segundo o Secretário de Turismo, esta proibição se faz necessária para que o turista não se sinta pressionado por  alguns vendedores.

“A proibição é fundamental para haver o controle deste tipo de serviço na cidade. A empresa que descumprir a lei será responsabilizada com as penalidades devidas”, disse ele.

Grande parte dos empresários apoiam a proibição destas vendas. Como é o caso do empresário Thiago Fernandes, que se sente lesado com os vendedores. "Acaba sendo um ciclo vicioso. Contudo, se houver fiscalização, haverá organização", afirmou Thiago.



Valid XHTML 1.0 Transitional

Selo de Acessibilidade - DaSilva

Estrada da Usina, 600 Centro (22) 2633-6000 Desenvolvido por NPI Brasil